Mim-eu-Mesmo - Moa Sipriano
O Autor

"Se você não tem ideia de quem é o escritor pelúnico aqui do outro lado, te convido a bisbilhotar minhas entrelinhas. Descubra como me transformei num dedicado e competente contador de histórias coloridas, publicando uma literatura gay diferenciada. Conheça passagens da minha existência e fragmentos da minha personalidade. Nada tenho a esconder, apenas a revelar. Com muito prazer... em todos os sentidos!"

Literatura Homopular

Aqui você encontrará livros digitais gratuitos que retratam com fidelidade e lirismo todos os meandros da Diversidade, onde o amor verdadeiro, os conflitos internos, o sincero companheirismo e a real espiritualidade são temas que amo explorar. Busco pincelar minhas histórias com inteligência, sarcasmo, sensualidade e inspiração em tonalidades exatas.

Espero te surpreender :)

O Segundo Travesseiro - Moa Sipriano
O Segundo Travesseiro

Desnudando segredos, mistérios e alegrias de um "segundo travesseiro", acompanhe a fusão surpreendente de dois homens e suas lutas pela Vida, a descoberta da real amizade e o nascimento de um amor reescrito nas estrelas, abençoado por anjos inusitados.

30 Dias - Moa Sipriano
30 Dias

Através do polêmico diário de Jägger, o leitor será fisgado numa série de entrelinhas capaz de superar suas fantasias eróticas mais íntimas. Uma aventura carregada de homoerotismo, paixão, loucuras, amor e elevada reflexão. Experiências vividas além do impossível por um jovem que chegou às últimas consequências para compreender os reflexos da sua própria insanidade. (+18)

Fragmntos - Moa Sipriano
Fragmntos

Experiências vividas na carne, no sexo, na madrugada. Verdades coletadas na companhia da Dor. Frases e parágrafos repletos de Amor e Amizade. Resquícios de uma beleza compartilhada com o Próximo. Um desejo insano de abrilhantar a existência do meu leitor com minha realidade, zero fantasia, total vivência. FRAGMNTOS Sipriânicos. Divirta-se!

Gauchalemão - Moa Sipriano
Gauchalemão

Ele jamais escondeu sua veneração pelo povo gaúcho. Durante anos, em suas mambembes viagens ciganas, esbarrando sua morenice paulista num sulista transparente de ocasião, foram muitos os encontros e despedidas. Ele ainda sonha com o dia em que será abençoado com o amor verdadeiro e definitivo compartilhado com um autêntico e rústico "Gauchalemão".

Poltrona 47 - Moa Sipriano
Poltrona 47

Fons revela cinco acontecimentos que retratam suas aventuras homoeróticas ocorridas em ônibus intermunicipais. O sexo é decupado em toda sua glória através de revelações surpreendentes, orgias alucinantes, envolvimentos jamais programados. Rústicos curiosos buscando quebrar todas as regras, onde a Hipocrisia foi besuntada em ácido gozo libertador. (+18)

Ursolitário - Moa Sipriano
Ursolitário

A oportunidade do leitor conhecer um pouco mais sobre as verdades que eu capto no universo e transformo em poesia acessível, sempre disposto a levar um pouco de luz e cor a um mundo que ainda insiste em permanecer tão opaco. Medos, vivências, solidão e recomeços. O outro lado do escriba. Sem receios de revelar o que acontece nas minhas próprias entrelinhas pelúnicas.

Pompó - Moa Sipriano
Pompó

Um dia, César decidiu acabar com a própria existência. No "Além", gozando da companhia de Pompó, seu anjo da guarda gay, César finalmente aprenderia como eliminar suas falhas durante uma aula irreverente e esclarecedora, através de técnicas reais e comprovadas para se executar um suicídio bem-sucedido... dos seus demônios interiores. (+18)

Dois - Moa Sipriano
Dois

Buscando inspiração para sua arte, Zeeg adorava perambular pelo cemitério local, apreciando santos esculturados sobre túmulos esquecidos. De repente, o brilho incomum de uma lápide chamou sua atenção. Desde então, fatos estranhos e coincidências perturbadoras passaram a rondar o dia a dia do artista, onde um acontecimento surreal mudaria o rumo da sua existência para sempre.

Azul - Moa Sipriano
Azul

Quantas histórias de vida evitamos solenemente todos os dias, já que permanecemos preocupados apenas com o que acontece no centro do nosso umbigo fétido? Será possível viver uma união fantástica, transformando-a numa bela e real história de amor, com alguém que jamais imaginaríamos passar o resto de nossas existências?

Rodamundo - Moa Sipriano
Rodamundo

João Gaiola, casado, pai de família, era famoso pelas suas traições sexuais país afora. Numa de suas paradas, ele conheceu um macho que lhe impôs novos Mistérios do Prazer. Quem diria que Rodamundo seria o responsável a proporcionar um inesquecível "fazer amor" perfeito capaz de mudar por completo a existência do insaciável, hipócrita e insensível caminhoneiro? (+18)

Blumen - Moa Sipriano
Blumen

Marco acreditou que havia tirado o Grande Prêmio no Amor. Investiu na relação. Idealizou o futuro. Ele mantinha a esperança de que o recomeço estava próximo e que o casal, juntos, teria energia e coragem suficientes para superar todo e qualquer obstáculo vindouro. A Covardia cobrou seu quinhão, forçando Marco a descobrir que algo não se encaixava no quebra-cabeça das duas existências.

Rdodopiá - Moa Sipriano
Rodopiá

Desde o estúpido acidente, Rod sonhava com a volta da harmonia no lar e a chance de curtir seu dia tão especial. Num encontro mágico, seu desejo mais íntimo tornou-se realidade, graças a alguém que soube interpretar sua dor, eliminando as amarras do seu passado. Rod, o inválido, perdeu a virgindade do corpo e da alma. Rod, o vencedor, descobriu o Amor através de um anjo chamado Rebbeca.

Cambota - Moa Sipriano
Cambota

O que Cambota e Sid sentiam um pelo outro poderia ser algo platônico, a expiação de vidas passadas, uma simples falta de sorte? Ou a separação dos dois não passava de uma bela chacota do Destino? Sonhos, fantasias, ilusões, esperanças: Sid revela em três atos sua imensa frustração em não ter dito e feito a coisa certa para o homem ideal no momento exato.

Laços & Botas - Moa Sipriano
Laços & Botas

Zaac se achava experiente na arte do sexo. Num dia de tédio, ocorreu o encontro. Um macho deslocado do seu universo materializou-se diante do rapaz. Um jagunço ou um lunático cavalgando pela praia? Duas palavras e um convite. Dor e Submissão. Prazer e Delírio. Surras e Beijos. Mestre e Escravo. Laços e Botas. Ah, o sexo? O sexo foi somente um mero detalhe. (+18)

A melodia do Silêncio - Moa Sipriano
A melodia do Silêncio

Mateus perdeu tudo no mundo dos negócios, foi expulso do seio da família e ignorado pelos seus amigos. Morando nas ruas, numa situação patética ele acabou conhecendo Ronan, uma pessoa improvável que iria retirá-lo do limbo, dando-lhe uma nova chance na vida, em troca de um amor que ambos nem cogitavam ser possível, mas que provou ser real na medida certa, no tempo exato, do jeito correto.

O número 13 - Moa Sipriano
O Número 13

Acreditando ser Positivo após uma revelação bombástica do seu patrão-amante, Sérgio enlouquece e resolve se vingar da própria sorte. No transcorrer de um único dia, ele vaga pelas ruas da sua querida Jundiaí, caçando e transando aleatoriamente com treze homens desconhecidos, despejando todo seu ódio e incompreensão em situações repletas de riscos para o corpo, a mente e a alma. (+18)

O Pastor - Moa Sipriano
O Pastor

Quando o Consolador veio confortar minha mãe, eu acreditava estar diante de um ser de vivência e moral ilibadas. Porém, bastou um só gesto profano para eu descobrir que aquele macho nada tinha de santo. Na carne e na alma, eu aprendi que ele era o Sexo encarnado na Terra. O Pecado travestido de Macho Escroto. O Hipócrita a enganar o Povo. Eu paguei o preço para fazer parte do Grande Jogo. (+18)

Delicadas - Moa Sipriano
Delicadas

Quando uma situação de dor nocauteia nossas vidas e nossos corpos sem rumo vagueiam no seio da multidão, no ápice do nosso desespero almejamos apenas um Ombro Amigo. Por merecimento, de repente, surge alguém ideal disposto a curar nosso espírito atribulado com reconfortante "bom ouvido", acompanhado de uma pequena lata recheada de Delicadas a inebriar nossa salvação.

Feicebuque - Moa Sipriano
Feicebuque

Uma coletânea de facepérolas. Tenho certeza que você vai se identificar em inúmeras situações, além de rir sem vergonhas diante de tanta panguice explícita. Relaxe e medite sobre os acontecimentos reais aqui expostos. Divirta-se com as tosquelices dos Despreparados batendo de frente com minhas fofas respostas sipriânicas.

Beijamim - Moa Sipriano
Beijamim

Ao tentar defender um jovem das atrocidades cometidas por um policial homofóbico e racista, Sid também foi capturado, sofrendo humilhação e violência sexual. Após uma madrugada de terror, desnorteado e ferido, vagando pela cidade, Sid foi encontrado e amparado por um outro policial. Uma reviravolta foi anunciada, enquanto o Amor sempre se mantém à espreita. (+18)

João & João - Moa Sipriano
João & João

Brito hoje está casado e realizado ao lado do filho Carlos e do marido, João. Após dez longos anos, Brito recebe a visita de um ex-amante que almejava reconquistá-lo. Durante uma conversa franca entre ambos, marcas do passado foram, enfim, apagadas. Sempre há uma oportunidade de ser feliz, sem que para isso seja necessário aniquilar uma profunda amizade.

Boa Noite, Sr. Sexo - Moa Sipriano
Boa noite, Sr. Sexo

Desnorteado diante da Grande Sorte, o fã agora detinha o privilégio de curtir momentos privados ao lado daquele artista que um dia dominou todas as suas fantasias. Tomando coragem para invadir um universo desconhecido, Hector se recobriu de ousadia, apostando que nasceria ali uma chance única de conhecer o Homem por trás do Mito.

Violina - Moa Sipriano
Violina

Abalado por causa do fim de um relacionamento clandestino com um homem, o famoso artista sertanejo encontrou a coragem necessária para revelar seu "outro lado" a mim-eu-mesmo. A carência deu lugar a uma amizade sem cobranças. Aquele envolvimento – que deveria ser passageiro – abriu espaço para uma união de escape repleta de fantásticas revelações.

Corinto - Moa Sipriano
Corinto

Insatisfeita com a rotina de um casamento sem brilho sexual, uma mulher culta, inteligente e fogosa almeja novas experiências muito além da sua cama. Para satisfazer um desejo enrustido desde a adolescência – realizar fantasias sexuais com gays –, ela finalmente toma coragem de levar adiante a sua empreitada, quando descobre uma maneira simples e inusitada de se passar por... macho. (+18)

Filomena - Moa Sipriano
Filomena

Quando criança, ele apanhou e foi humilhado porque gostava de brincar com uma boneca de pano. Tiago aprendeu muito cedo a conviver com a Ignorância e o Preconceito, reconhecendo as maldades da Homofobia e da Hipocrisia na própria alma. Mas o Destino sempre acaba cruzando o caminho daqueles que merecem ser respeitados, revelando a verdade por trás das caquéticas máscaras centenárias.

Positivo - Moa Sipriano
Positivo

No meu íntimo, eu já sabia de tudo. Nada no mundo seria capaz de me fazer desistir da única chance de ser feliz, ao revelar todo meu amor e carinho àquele que provocou por tanto tempo minhas mais insanas fantasias. Eu não estava nem aí para o estado de saúde dele. O que me importava era confirmar o estado de graça que pretendíamos viver aqui e agora!

2Ursos - Moa Sipriano
2Ursos

Dois machos, duas histórias. Um encontro, a união definitiva. As aventuras e desventuras de cada um, o "sair do armário" e a entrega aos prazeres do sexo bruto entre machos que souberam aproveitar ao máximo a paixão, a virilidade e aquela pegada que só "2Ursos" são capazes de proporcionar. (+18)

Max - Moa Sipriano
Max

A veneração pelo meu patrão foi duramente testada naquela sexta-feira. Fui escolhido para amparar sua derrota diante de algo assustador. O misto de Alegria por tocá-lo com intimidade além dos meus sonhos e Dor diante da covardia da execução do Théo foi o teste supremo da minha dedicação platônica por alguém que eu considerava um verdadeiro semideus.

Casados Frustrados - Moa Sipriano
Casados frustrados

Por que muitos religiosos casados traem suas esposas com outros homens? Será que eles fazem isso apenas para satisfazer seus instintos sexuais enrustidos e nada mais? Acompanhe o relato de um Frustrado que descobriu o amor, a amizade, o prazer e o companheirismo ao lado de um rapaz muito especial. Sinta seus conflitos. Surpreenda-se com suas verdades.

O diabo veste prata - Moa Sipriano
O diabo veste prata

Jaime tinha dezesseis quando descobriu as alegrias do primeiro amor compartilhado com André. Quando seus pais descobriram seu relacionamento "pecaminoso" com outro garoto, internaram o filho em uma clínica evangélica especializada na "recuperação" de homossexuais. Acompanhe o relato de alguém que só queria viver em toda sua plenitude o AMOR que hoje ousa gritar o SEU NOME.

Padre Pop - Moa Sipriano
Padre POP

Por que alguns "servos de deus" preferem maquiar seus sentimentos e suas realidades íntimas em atos enrustidos na clandestinidade, sofrendo as dúvidas em se assumir aquilo que se é, vive, sente? O tempo passa. As mentiras se acumulam. Como homens esclarecidos espiritualmente não conseguem assumir sua homossexualidade? E ainda insistem em "pregar" fatos que pontuam contra sua própria natureza?

Tito - Moa Sipriano
Tito

Raimundo só queria viver o prazer do toque das suas mãos calejadas naquele corpo macio e a fusão do seu bigode-cafuçu naquela boca trêmula. O inusitado casal incorporava aquilo que ambos descobriram ser sagrado: a amplitude dum amor talvez não compreendido pela Sociedade, mas completo entre dois homens sofridos, agora nunca mais solitários. (+18)

Meubranco - Moa Sipriano
Meubranco

Eles despertam todas as curiosidades. Lá fora, no seio da Sociedade, são sensíveis, sorridentes e prestativos. No castelo, na boa intimidade, encarnam Dominador e Submisso. Na cama, noutra madrugada, Professor e Dedicado recriam o jogo da sedução entre Caça e Caçador, onde o casal faz questão de se comportar como lunáticos embebidos na luxúria, devidamente apaixonados. (+18)

Hans - Moa Sipriano
Hans

Sid não esperava mais encontrar um amor para preencher sua existência. Até o dia em que Hans apareceu. Através de cartas, Sid projetou seus sentimentos mais profundos, suas verdades mais honestas e seu desejo único de cuidar de um rapaz tímido que apenas ansiava passar seus últimos dias ao lado de alguém muito especial.

Meu Cunhado - Moa Sipriano
Meu Cunhado

Klaus estava se recuperando em casa após um acidente de moto. Sid resolveu visitar o cunhado, na intenção de cuidar um pouco dele. Após uma franca conversa, inusitadas revelações e momentos de agradável convívio, Klaus finalmente expôs a extensão do seu imenso carinho por Sid, provando que o amor fraternal entre dois homens está muito muito acima de todas as diferenças.

Balas de Agosto - Moa Sipriano
Balas de Agosto

Ele só queria se encontrar com seu autor favorito. O garoto havia superado inúmeras dificuldades para estar ali, numa grande noite que deveria ser inesquecível. Infelizmente, a Ignorância se fez encarnada, ceifando mais uma vida que só ansiava viver em plenitude o Belo e o Simples. Mas o Amor fez sua parte, numa despedida emocionante entre Fã e Escritor.

Viking - Moa Sipriano
Viking

Um encontro sem pés na terra, mas com cabeças entre sonhos, se materializou durante uma simples caminhada. O destino foi selado quando o Passado se impôs sem restrições atemporais. Havia uma história, uma linda realidade a ser deflorada. Nada seria mais oculto. Foi quando o Amor revelou suas cartas. Matz foi o homem. Viking, agora, seria o anjo sempre em guarda!

Enrico - Moa Sipriano
Enrico

Ambos eram casados, amarrados a compromissos desgastados. Durante uma "escapada" eles descobriram o Amor em três atos tresloucados. Enrico sofreu um bocado, a ponto de se esconder numa "religião" antes de abandonar o armário, mesmo aceitando viver no calabouço. Será que um dia Enrico e seu amado merecerão viver juntos?

Sangue. Suor. Sexo. - Moa Sipriano
Sangue, Suor, Sexo

Tudo o que M. queria era curtir a discreta "brincadeira" dentro do ônibus. Porém, ele não imaginava que uma rápida pegação fosse capaz de conduzi-lo a um relacionamento tenso, ousado e violento, onde o arroubo da dor física foi mixado com outras faces do Prazer, unindo dois machos num caminho sem volta, que poderia levá-los ao Êxtase e Felicidade ou à Destruição e Morte. (+18)

Cinema - Moa Sipriano
Cinema

Darcy era viciado em sexo. Após perder o emprego, ele descambou a se entregar diariamente ao baixo prazer no interior de um "cinema de pegação". Sem se cuidar, se valorizar, se dar conta de todos os riscos pessoais e emocionais envolvidos, será que valeu a pena ficar cego diante do cômodo escape ao tentar se esquivar da dura realidade? (+18)

Barba Papa - Moa Sipriano
Barba Papa

Comovido com o estado deplorável de um morador de rua, Raul decide cuidar do visual daquele excluído. Sua louvável atitude ao aparar cabelo e barba não foi em vão. Ele jamais poderia imaginar que por trás daquela aparente decadência se escondia um príncipe verdadeiramente encantado. O Amor aprontou uma bela surpresa para o cabeleireiro, agora não mais solitário.

Quentinha - Moa Sipriano
Quentinha

Jogos de Sedução são válidos até certo ponto, pois nada pode substituir um diálogo franco e direto. Quando você vibra aventura, você atrai fragmentos de escape, adrenalina, fagulhas de prazer e só. Muitas vezes, durante uma "cantada", você pode se surpreender com a atitude do outro lado. E, talvez, você deguste a sorte de conquistar muito mais do que cinco minutos de prazer efêmero.

Paizaum - Moa Sipriano
Paizaum

Um amor não catalogado, muito além dos padrões aceitos como "normais". Um desejo incontrolável. O primeiro passo havia sido dado. Delírio, ousadia ou fantasia? Os fatos seriam, enfim, consumados? Um relato eletrizante de um rapazote loucamente apaixonado por um sessentão pra lá de especial. (+18)

Noite. Homem. Cama. - Moa Sipriano
Noite, Homem, Cama

Em uma sala de bate-papo surgiu a chance de algo mais intenso com um macho apaixonante. Rolou o encontro real e a transa mais fantástica. Delirando de paixão, T. acreditou que viveria um magnífico conto de fadas. Mas algo deu errado. Muito errado! Atitudes equivocadas impressas numa relação ilusória baseada no total egoísmo e na carência inquieta de um rabo acéfalo.

O Carteiro - Moa Sipriano
O Carteiro

Venâncio era o carteiro da ilha. Numa determinada ocasião, ele passou a receber em sua casa cartas anônimas de um certo admirador nada discreto. Um dia, o encontro real aconteceu. O carteiro, munido de sabedoria e paciência, indicou os erros cometidos pelo pretendente, apontando as besteiras que muitos cometem ao abordar possíveis candidatos a algo que deveria ser sincero, bonito e duradouro.

Advogado - Moa Sipriano
Advogado

Num encontro casual, Ivan, o poeta, "esbarrou" em Martin, um advogado. Química imediata, aquele fogo sagrado conduziu os dois machos a se consumirem numa doce aventura durante algumas horas. Acompanhe o desabafo de Ivan e descubra os indícios que levaram o poeta a não investir numa relação fadada ao fracasso. De quem seria a culpa?

Ícaro - Moa Sipriano
Ícaro

Pedro ia realizar um desejo antigo: voar de asa-delta. Alexandre, seu namorado, havia programado a viagem nos mínimos detalhes. Aproveitando a ocasião, o jovem casal celebraria um ano de união estável. Tudo indicava que aquele final de semana seria mágico e inesquecível. Mas a Intolerância rondava os rapazes, incorporada num monstro fanático disposto a arruinar a felicidade do casal.

Uma oração - Moa Sipriano
Uma Oração

Será possível o encontro de Almas Companheiras separadas no mundo físico por causa de uma tragédia pessoal? Superar a barreira da morte era o desafio mais difícil para Alvin. Aceitar o seu amor por Marcus, um jovem recém-desencarnado, foi um teste supremo de paciência e compreensão. O merecimento de um novo desafio se fez presente. Recomeçar era a palavra da Ordem!

Darel - Moa Sipriano
Darel

Cabreúva vibrou quando foi "escolhido" por um macho dos sonhos que morava em São Paulo. Era a primeira vez que ele ia conhecer uma cidade grande e realizar uma aventura clandestina com um príncipe desconhecido. O ingênuo rapaz só queria perder a virgindade e descobrir como era a liberdade do sexo entre Iguais. Infelizmente, foi a penúltima vez que ele foi visto com vida. (+18)

Despedida de Solteiros - Moa Sipriano
Despedida de solteiros

Um escape: A pegação iniciada num cinema se transformou no "fazer amor" em minha casa. Uma aventura: Quebrei sua virgindade, ensinando a arte do Toque e os mistérios do Bom Sexo. Um adeus: Num rodopio do Destino, o reencontro e a certeza de que nosso enlace fortaleceria ainda mais um futuro em caminhos bem paralelos. Enfrentamos, enfim, uma louca despedida... de solteiros.

Diego - Moa Sipriano
Diego

Diego chegou rompendo uma enorme barreira, confiando sua intimidade a um estranho. De um simples bate-papo despontou a construção de uma linda amizade. Um enlace fraternal que culminou no Amor, onde Sid ganhou não apenas um novo amigo; mas sim um irmão, um companheiro, um aprendiz, um ser que lutava desesperadamente para ser apenas compreendido.

O marido ideal - Moa Sipriano
O marido ideal

Será que dominamos a capacidade de separar o que deveria ser uma simples aventura daquilo que poderia resultar num envolvimento mais promissor? Somos honestos ao projetar expectativas no outro, aceitando o pretendente como ele realmente é? Ou será que ainda somos impelidos a forçar que o outro seja aquilo que nós queremos, exigimos, impomos?

O Encosto - Moa Sipriano
O Encosto

Após uma simples noite de sexo, iludidos e possessivos, entulhamos de cobranças o novo parceiro. Egoístas, impomos nossas neuras e temores, exigindo do Ficante juras de utopias por algo que já nasceu fadado ao fracasso total. Será que você é O ENCOSTO? Leia e avalie suas atitudes.

Um prazer solitário - Moa Sipriano
Um prazer solitário

O antigo "devorador de homens" cumpria com louvor seu último objetivo: nunca mais compartilhar uma cama com outro macho. Mas como ele resolveu a fúria da sua libido incontrolável? Danilo aprendeu a se satisfazer sem a presença física de nenhum pelúnico. Tudo foi ensinado pelo padre Valdécio, um amigo virtual que desfilou os macetes necessários para se usufruir das delícias de um prazer solitário.

Chico - Moa Sipriano
Chico

Jamais esquecemos o Primeiro Amor. Talvez por imaturidade ou burrice explícita permitimos escorrer entre os vãos da nossa alma algo que poderia ser belo e produtivo durante muitos anos. Não importa o galopar do Tempo. Pela dor, sempre aprendemos com nossos vacilos, pois nada é capaz de eliminar a sensação da inesquecível Primeira Vez.

Gsuis - Moa Sipriano
Gsuis

Depressivo após o término de um relacionamento, um jovem gay resolve visitar o tio evangélico, seu ex-amante, que o convence a participar de um culto naquela noite. Sentindo-se deprimido por não ter encontrado nenhum conforto durante a hipócrita reunião espalhafatosa, a visão de um panfleto na casa do tio desperta no rapaz a eliminação definitiva de todos os problemas da sua alma não mais dilacerada.

Vênus - Moa Sipriano
Vênus

Ao cruzarmos com um corpo impossível de ser ignorado, sufocamos todas as regras do bom senso e nos entregamos sem pestanejar a um enlace afoito que pode resultar em tortuoso prazer. Mas uma pergunta fica no ar: Vale a pena correr todos os riscos? Por que muitos machos conscientes do seu poder de sedução não medem esforços para saciar suas necessidades egoístas de um gozar unilateral?

Intimação - Moa Sipriano
Intimação

Nenhum dos dois queria dar o braço a torcer. Eles já se amavam, mas não cultivavam ideia da dimensão do que sentiam um pelo outro. A distância física que separava duas almas dementes e apaixonadas não seria um obstáculo intransponível. Finalmente, Paulista tomou a iniciativa do segundo passo. Aguardando com ansiedade a resposta do Carioca lá do outro lado da tela.

Pooto - Moa Sipriano
Pooto

Entrar para a famosa "vida fácil" não foi algo programado. Simplesmente, aconteceu. Revelo a você os bastidores da minha profissão de fé. Confesso que hoje, antes dos trinta, tudo conquistei no plano material. Já no aconchego da alma... (+18)

Prost - Moa Sipriano
Prost

Ele escolheu a mais antiga das profissões por pura vontade própria. Na metrópole, inovou ao oferecer bem mais do que apenas dotados minutos de prazer para seus boquiabertos clientes. Ele proporcionava o Diálogo. Ele era o Bom Ouvido. Ele era único ao atuar como um verdadeiro Machoterapeuta. (+18)

72 - Moa Sipriano
Setenta e Dois

Toda nuance do Amor vale a pena. Eles precisavam concretizar o reencontro. Afastados por culpa e medo em assumir o que sentiam numa época problemática de suas atuais existências, foi preciso muito empenho, pesquisa e dedicação de minha parte para promover o tão sonhado e necessário acerto de almas. Será que todo esforço realmente valeu a pena?

Perfumado - Moa Sipriano
Perfumado

Há momentos onde carinho e atenção valem muito mais do que uma rápida gozada descartável. De uma aventura de minutos pode até nascer uma amizade duradoura, quando ambos estão na mesma sintonia, a cultivar o Respeito e o Diálogo, culminando nas delícias da Afinidade e nas bênçãos do Amor.

Lucas - Moa Sipriano
Lucas

Advogado revela ser viciado em "homossexo", praticando o ato de maneira egoísta com inúmeros parceiros anônimos durante muitos anos. Mas o Destino coloca no caminho de Detlev um jovem simples e puro de coração, que se transformará num companheiro compreensivo, conduzindo o alemão a compartilhar algo que ele jamais imaginaria viver ao lado de outro homem: o Amor.

Ludwig - Moa Sipriano
Ludwig

Ludwig vibrou com a descoberta da sua homossexualidade. Mesmo inexperiente, mantinha o sonho em acreditar que tinha o direito de amar e ser amado, retirando da primeira experiência sexual a força necessária para confirmar quem ele era e até onde poderia chegar. Um garoto de quinze anos que amadureceu antes do tempo, destilando a certeza de que ainda seria o Vencedor!

Ébano - Moa Sipriano
Ébano

Ele adorava caçar machos humildes que pudessem lhe proporcionar alguns minutos do Prazer acompanhado de profundas humilhações físicas e emocionais. Ele era insaciável. Acompanhe um fim de semana na vida de um Recluso Submisso capaz de qualquer atitude a fim de saciar seu vício supremo: se envolver em carne, sangue e dor com um delicioso, viril e rústico Ébano. (+18)

Luna - Moa Sipriano
Luna

Eles se cruzaram numa Rede Social. Um atrevimento culminou no despertar de um amor inexplicável. Sair do virtual para o real foi um passo decisivo. Eles aceitaram o destino e se entregaram sem reservas, nem medos. Um esbarrão virtual. Uma noite de descobertas. A Internet seria a madrinha de mais um raro caso de felicidade entre Iluminados.

Amarração - Moa Sipriano
Amarração

Qual é o suprassumo do Egoísmo? É forçar alguém a ficar do seu lado. No auge do desespero, tomamos atitudes extremas, acreditando que uma simples "mandinga" detém o poder de amarrar nossas necessidades de companhia. Ria e medite sobre a aventura de Décio, um homem que sonhava em conquistar Roberval, o cafuçu mais gostoso da ilha.

Natalino - Moa Sipriano
Natalino

Passamos o ano envoltos em problemas. Adoramos sofrer, pois assim acreditamos chamar a atenção das pessoas ao nosso redor. Quando chega a época das festas, nos entregamos ao vício da "vitimêis". Mas, de repente, o Destino nos dá um belo chacoalhão, abrindo os olhos da nossa alma. Só assim conseguimos compreender o verdadeiro sentido do Natal.

© 2004 - 2022 . Moa Sipriano

Created with Mobirise ‌

Offline Website Software